PALAVRAS SINGULARES

São palavras jeitosas, formosas, inteiras.

Sem sentido, sem juízo, sem valor.

Faceiras, brejeiras, até corriqueiras.

Palavras intensas, carentes ou contentes.

Indecentes, inocentes, contingentes.

Trazem riso, pouco siso, alegoria.

Palavras de fé, de magia, de folia.

Fazem chorar, descontrolar e lamuriar.

Falam de amores, de dissabores,

exaltam as dores.

Palavras alegres, cintilantes, efusivas.

Verdadeiras, sorrateiras, benzedeiras.

Palavras que excitam, incitam, ousam sonhar.

Assim como falam, se calam.

Suplicam, replicam, explicam.

Palavras perdidas, inventadas...

De enfeite, deleite, um falsete.

Palavras tão belas, palavras de fera.

São palavras singulares,

São palavras de mim.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Expir (ação)



EXPIR(AÇÃO)

Na placidez do silêncio
Inspiro a palavra
Absorvo em recolhimento

Reflete-se a essência no olhar
Expiro a palavra
Transcrita em sentimento

Meus versos são asas e pontes
Que conduzem a alma ao infinito

Um comentário:

  1. Uma linda inspiração para a expiração.
    Muito bonito.
    Bjs

    ResponderExcluir