PALAVRAS SINGULARES

São palavras jeitosas, formosas, inteiras.

Sem sentido, sem juízo, sem valor.

Faceiras, brejeiras, até corriqueiras.

Palavras intensas, carentes ou contentes.

Indecentes, inocentes, contingentes.

Trazem riso, pouco siso, alegoria.

Palavras de fé, de magia, de folia.

Fazem chorar, descontrolar e lamuriar.

Falam de amores, de dissabores,

exaltam as dores.

Palavras alegres, cintilantes, efusivas.

Verdadeiras, sorrateiras, benzedeiras.

Palavras que excitam, incitam, ousam sonhar.

Assim como falam, se calam.

Suplicam, replicam, explicam.

Palavras perdidas, inventadas...

De enfeite, deleite, um falsete.

Palavras tão belas, palavras de fera.

São palavras singulares,

São palavras de mim.

sábado, 31 de dezembro de 2011

"Tu eras também uma pequena folha que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube que ias comigo, até que as tuas raízes atravessaram o meu peito, se uniram aos fios do meu sangue, falaram pela minha boca, floresceram comigo. "
(Pablo Neruda)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Coisas que a vida ensina depois dos 40

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...
  (Artur da Távola)

domingo, 18 de dezembro de 2011

 
    COISAS DE ADÉLIA PRADO.....
  
Mulher é desdobrável. Eu sou.

Sofro por causa do meu espírito de colecionador-arqueólogo. Quero pôr o bonito numa caixa com chave para abrir de vez em quando e olhar.

Minha mãe achava estudo a coisa mais fina do mundo.
Não é. A coisa mais fina do mundo é o sentimento.

Não quero faca, nem queijo. Quero a fome.

Um corpo quer outro corpo.
Uma alma quer outra alma e seu corpo.

O que a memória ama, fica eterno.
Te amo com a memória, imperecível.

A vida é muito bonita, basta um beijo
e a delicada engrenagem movimenta-se,
uma necessidade cósmica nos protege.

Deus de vez em quando me tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra

Dor não tem nada a ver com amargura.  Acho que tudo que acontece  é feito pra gente aprender cada vez mais,  é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável.  Cada dia mais rica de humanidade.

Eu te amo, homem,  amo o teu coração, o que é, a carne de que é feito, amo sua matéria, fauna e flora, seu poder de perecer, as aparas de tuas unhas perdidas nas casas que habitamos, os fios de tua barba. Esmero

Eu ponho o amor no pilão com cinza e grão de roxo e soco. Macero ele, faço dele cataplasma e ponho sobre a ferida.
 


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Crepúsculo

Não...
Depois de te amar eu não posso amar mais ninguém.
De que me importa se as ruas estão cheias de homens esbanjando beleza e promessas ao alcance das mãos;
Se tu já não me queres, é funda e sem remédio a minha solidão.
Era tão fácil ser feliz quando estavas comigo.
Quantas vezes vezes sem motivo nenhum, ouvi teu riso, rindo feliz, como um guizo em tua boca.
E a todo momento, mesmo sem te beijar, eu estava te beijando...
Com as mãos, com os olhos, com o pensamento, numa ansiedade louca.
Nosso olhos, ah meu Deus, os nossos olhos...
Eram os meus nos teus e os teus nos meus como olhos que dizem adeus.
Não era adeus no entanto, o que estava vivendo nos meus olhos e nos teus,
Era extase, ternura, infinito langor.
Era uma estranha, uma esquisita mistura de ternura com ternura, em um mesmo olhar de amor.
Ainda ontem, cada instante uma nova espera,
Deslumbramento, alegria exuberante e sem limite.
E de repente... de repente eu me sinto como um velho muro.
Cheio de eras, embora a luz do sol num delírio palpite.
Não, depois de te amar assim,
Como um deus, como um louco,
nada me bastará e se tudo tão pouco,
Eu deveria morrer.

(Neruda)

domingo, 11 de dezembro de 2011

video

Soneto de Fidelidade
(Vinicius de Moraes)
De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

sábado, 10 de dezembro de 2011


"" PIOR DO QUE UMA VOZ QUE CALA, É UM SILÊNCIO QUE FALA""

O silêncio é um elemento de muitas facetas. Pode ser um aliado valioso, assim como pode ser o mais mortal dos inimigos. Pode evidenciar sabedoria e em outros casos, covardia. Pode traduzir os mais nobres sentimentos, o enlevo e a sublimação, assim como pode ressaltar a indiferença e o desprezo.

O silêncio tanto pode ser um bálsamo como um veneno. Assim como podemos nos arrepender por algumas palavras proferidas, que não há como desfazê-las, também o silêncio pode nos trazer arrependimentos e dores, por tudo aquilo que poderíamos ter dito e não o fizemos. O silêncio pode indicar a paz, assim como pode representar o inferno de cada um. São os silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas.

O silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado. Ele é o único argumento que não se pode refutar.


(Beth Lucchesi)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011



"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."
(Drummond)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

 FANATISMO
(Florbela Espanca)

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida…
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

“Tudo no mundo é frágil, tudo passa…”
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
“Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!…”

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

video


AINDA BEM QUE VOCÊ CHEGOU

Aconteceu você, assim....
Acordo sonhando
Caminho flutuando.
Teu sorriso maroto,
Encanto!
Teu olhar me devorando,
Arrepio.
Tua boca convidando,
Calafrio.
Tens a coisa do mistério,
Arrebatador.
Já não sei mais de mim.
Por teus sonhos, desfilo
Em meu delírio, comandas.
Estou com fome de ti.
Em teus braços me abandonarei
Em teu regaço, me perderei.
Em teu amor, me encontrarei
Feliz!

(Beth Lucchesi)