PALAVRAS SINGULARES

São palavras jeitosas, formosas, inteiras.

Sem sentido, sem juízo, sem valor.

Faceiras, brejeiras, até corriqueiras.

Palavras intensas, carentes ou contentes.

Indecentes, inocentes, contingentes.

Trazem riso, pouco siso, alegoria.

Palavras de fé, de magia, de folia.

Fazem chorar, descontrolar e lamuriar.

Falam de amores, de dissabores,

exaltam as dores.

Palavras alegres, cintilantes, efusivas.

Verdadeiras, sorrateiras, benzedeiras.

Palavras que excitam, incitam, ousam sonhar.

Assim como falam, se calam.

Suplicam, replicam, explicam.

Palavras perdidas, inventadas...

De enfeite, deleite, um falsete.

Palavras tão belas, palavras de fera.

São palavras singulares,

São palavras de mim.

sábado, 31 de dezembro de 2011

"Tu eras também uma pequena folha que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube que ias comigo, até que as tuas raízes atravessaram o meu peito, se uniram aos fios do meu sangue, falaram pela minha boca, floresceram comigo. "
(Pablo Neruda)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Coisas que a vida ensina depois dos 40

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...
  (Artur da Távola)

domingo, 18 de dezembro de 2011

 
    COISAS DE ADÉLIA PRADO.....
  
Mulher é desdobrável. Eu sou.

Sofro por causa do meu espírito de colecionador-arqueólogo. Quero pôr o bonito numa caixa com chave para abrir de vez em quando e olhar.

Minha mãe achava estudo a coisa mais fina do mundo.
Não é. A coisa mais fina do mundo é o sentimento.

Não quero faca, nem queijo. Quero a fome.

Um corpo quer outro corpo.
Uma alma quer outra alma e seu corpo.

O que a memória ama, fica eterno.
Te amo com a memória, imperecível.

A vida é muito bonita, basta um beijo
e a delicada engrenagem movimenta-se,
uma necessidade cósmica nos protege.

Deus de vez em quando me tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra

Dor não tem nada a ver com amargura.  Acho que tudo que acontece  é feito pra gente aprender cada vez mais,  é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável.  Cada dia mais rica de humanidade.

Eu te amo, homem,  amo o teu coração, o que é, a carne de que é feito, amo sua matéria, fauna e flora, seu poder de perecer, as aparas de tuas unhas perdidas nas casas que habitamos, os fios de tua barba. Esmero

Eu ponho o amor no pilão com cinza e grão de roxo e soco. Macero ele, faço dele cataplasma e ponho sobre a ferida.
 


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Crepúsculo

Não...
Depois de te amar eu não posso amar mais ninguém.
De que me importa se as ruas estão cheias de homens esbanjando beleza e promessas ao alcance das mãos;
Se tu já não me queres, é funda e sem remédio a minha solidão.
Era tão fácil ser feliz quando estavas comigo.
Quantas vezes vezes sem motivo nenhum, ouvi teu riso, rindo feliz, como um guizo em tua boca.
E a todo momento, mesmo sem te beijar, eu estava te beijando...
Com as mãos, com os olhos, com o pensamento, numa ansiedade louca.
Nosso olhos, ah meu Deus, os nossos olhos...
Eram os meus nos teus e os teus nos meus como olhos que dizem adeus.
Não era adeus no entanto, o que estava vivendo nos meus olhos e nos teus,
Era extase, ternura, infinito langor.
Era uma estranha, uma esquisita mistura de ternura com ternura, em um mesmo olhar de amor.
Ainda ontem, cada instante uma nova espera,
Deslumbramento, alegria exuberante e sem limite.
E de repente... de repente eu me sinto como um velho muro.
Cheio de eras, embora a luz do sol num delírio palpite.
Não, depois de te amar assim,
Como um deus, como um louco,
nada me bastará e se tudo tão pouco,
Eu deveria morrer.

(Neruda)

domingo, 11 de dezembro de 2011

video

Soneto de Fidelidade
(Vinicius de Moraes)
De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

sábado, 10 de dezembro de 2011


"" PIOR DO QUE UMA VOZ QUE CALA, É UM SILÊNCIO QUE FALA""

O silêncio é um elemento de muitas facetas. Pode ser um aliado valioso, assim como pode ser o mais mortal dos inimigos. Pode evidenciar sabedoria e em outros casos, covardia. Pode traduzir os mais nobres sentimentos, o enlevo e a sublimação, assim como pode ressaltar a indiferença e o desprezo.

O silêncio tanto pode ser um bálsamo como um veneno. Assim como podemos nos arrepender por algumas palavras proferidas, que não há como desfazê-las, também o silêncio pode nos trazer arrependimentos e dores, por tudo aquilo que poderíamos ter dito e não o fizemos. O silêncio pode indicar a paz, assim como pode representar o inferno de cada um. São os silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas.

O silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado. Ele é o único argumento que não se pode refutar.


(Beth Lucchesi)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011



"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."
(Drummond)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

 FANATISMO
(Florbela Espanca)

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida…
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

“Tudo no mundo é frágil, tudo passa…”
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
“Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!…”

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

video


AINDA BEM QUE VOCÊ CHEGOU

Aconteceu você, assim....
Acordo sonhando
Caminho flutuando.
Teu sorriso maroto,
Encanto!
Teu olhar me devorando,
Arrepio.
Tua boca convidando,
Calafrio.
Tens a coisa do mistério,
Arrebatador.
Já não sei mais de mim.
Por teus sonhos, desfilo
Em meu delírio, comandas.
Estou com fome de ti.
Em teus braços me abandonarei
Em teu regaço, me perderei.
Em teu amor, me encontrarei
Feliz!

(Beth Lucchesi)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

 EXATO MOMENTO
(Zé Ricardo)

O amor precisa da sorte
De um trato certo com o tempo
Pra que o momento do encontro seja pra dois o exato momento
O amor precisa de sol
E do barulho da chuva
De beijos desesperados
De sonhos trocados da ausência de culpa

Talvez o amor só seja assim pra mim
E pra você não seja nada disso
Mas eu prometo tentar aprender a te amar do jeito que for preciso
Do jeito que for preciso, do jeito que for preciso, do jeito que for preciso...

Mas se o amor quiser mudar as leis do que é certo
Ele faz que o improvável aconteça
Quando o amor vier não tema, tenha fé
Que ele será seu olhar, esplendor e beleza

Talvez o amor só seja assim pra mim
E pra você não seja nada disso
Mas eu prometo tentar aprender a te amar do jeito que for preciso
Do jeito que for preciso, do jeito que for preciso..
.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Tomara
Que você volte depressa
Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho

Tomara
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz

E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...

(Viniciusde Morais)

domingo, 20 de novembro de 2011

FUTEBOL: PARA ALÉM DAS RIVALIDADES


 Temos acompanhado nas redes sociais e em outros espaços, as gozações dos torcedores tricolores tripudiando sobre a nação rubro-negra e sua permanência na segundona. Fazem isso como se esquecidos dos longos sete anos passados por lá, com direito a um turismo na terceirona.
E se para o dito “super homem” tricolor, com sua capa que atravessa os céus, chegar ao topo levou sete anos, imagine a dificuldade para um leão, que tem que escalar a montanha. Leão não voa, ruge. Leão luta e tem que enfrentar os adversários na garra.
Nesse processo, podemos observar a criatividade e o humor que se esboçam nas piadas, nas charges e paródias.
Entretanto, rivalidades à parte, penso que o momento é bom para reflexão de ambas as torcidas, tricolores e rubro-negros. A quem interessa a redução cada vez mais acentuada dos times nordestinos na elite de nosso futebol? Aos nordestinos certamente que não.
Esse ano vemos se confirmar a hegemonia dos times paulistas no dito grupo, ratificando a supremacia do eixo Rio-São Paulo, com direito a um reforço dos sulistas.
E basta ser um pouco atento para perceber que a cada ano torna-se mais distante para os times considerados “menores” lograr o tão sonhado título de campeão nacional. Isso porque, estatisticamente, quem tem maior número, maiores chances de atingir tal intento.
Diante disso, se faz necessária uma mudança de atitude e postura das confederações nordestinas, de seus dirigentes, jogadores e torcedores. O Nordeste precisa se fortalecer para brigar de igual pra igual pelos títulos.
É inconcebível que só tenhamos 3 ou 4 times do Nordeste participando da séria A, quando há times de tradição de fora da disputa. Estados com média de público altíssima nas partidas, torcedores apaixonados que todo ano precisam passar pela angústia e incerteza de subir ou descer, quando são eles que fazem melhor a sua parte.
Ao Bahia nem ao Vitória interessa apenas um, solitário, representando nossa região. Isso enfraquece e desvaloriza as suas conquistas. Os demais times não nos dão a devida importância e não nos respeitam.
Prova disso está traduzida na categoria de “clássico”; fora os regionais, jamais um jogo disputado entre um time no Nordeste e outro foi considerado clássico
As arbitragens são parciais, tendenciosas, haja vista sua atuação em jogos onde a má conduta afetou diretamente o resultado de muitos jogos. E nos casos de violência, como o úlitmo no jogado tricolor, que nem a mídia dá o destaque merecido.
Isso porque, meus amigos, o que manda é o dinheiro, a fama, o poder, que só se garante quando há união e representatividade. Não se enganem.
Ser o único representante do Nordeste na elite não é mérito, se formos comparar a força dos conterrâneos. Isso não valoriza as vitórias nem exige o respeito dos adversários. Isso é reducionismo.
A Bahia, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Rio Grande do Norte, Piauí, Sergipe e outros precisam se conscientizar que o Nordeste tem força, tem história, tem cultura e acima de tudo, tem um povo rico e apaixonado. E nosso futebol precisa ser igualmente respeitado e valorizado.
Vamos acabar com essa idéia de que no Nordeste só tem festa e carnaval, para alegrar e satisfazer os prazeres dos “riquinhos” lá de baixo.
Acorda torcedor: o Nordeste não é CIRCO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

(Beth Lucchesi)




terça-feira, 15 de novembro de 2011

  SENTIMENTO


Invento palavras, poeta não sou
Não escrevo de outrem, não escrevo de lá
Escrevo de mim, escrevo de cá
Escrevo porque sinto...
No silêncio das letras, eu grito
Entre as linhas, me desnudo
Tem gente que lê e não entende,
Já outros, entendem mais além
Sou aprendiz de mim mesma..
E assim aprendendo, percebo que nada aprendi
Não aprendo porque sinto,
E quem sente, sentido está
Sinto tanto que já não suporto
Tanto sentir
Não caibo em mim de tanto sentimento...
Minha alma inquieta parece bailarina
Solitária ao dançar...
Dança porque sente uma música a tocar
Cada acorde uma emoção, cada nota um sentido
Traço palavras e a alma bailando
No compasso do sentir...
Pelos dedos escorrendo sentimento
Derramados no papel
Viver sem sentir é vida sem sentido
Porque vida é sentimento
Às vezes quero me matar pra não morrer
Afogada no sentir...
Quero voar pra longe de mim
Porque o sentir me apavora
E assim, invento as palavras
Que traduzem sentimento
O papel, espelho meu
Refletindo meu sentir
Vivo sempre em reticências...
Não tenho ponto final.

(Betty Lucchesi)



 
DONA TRISTEZA
(Betty Lucchesi)
 
 Dona tristeza, então voltaste...
Quase não a reconheci.
Chegaste de mansinho, sorrateira,
Acreditei  demorar a revê-la ou quem sabe, nunca mais.
Celebrei tanto sua partida que nem me despedi
Até desejei que fosses para bem longe, viajando por ai
Dei uma festa, soltei rojões....
Sorrisos esquecidos, emoções adormecidas, enfim.
Cantei, dancei, até recitei.
De tão feliz me excedi.
Sem vergonha, sem medidas...
Bebi tanto dessa fonte, que até me embriaguei.
O mundo se fez  meu
A vida enfim, novamente, estava aqui.
Problemas, que nada...
Era o amor, dona tristeza, que por aqui reinava.
E agora, tu, de volta...
E nem foste convidada.
Tua saudade, não queria...
Devias ter me esquecido.
Ou será que devo acreditar,
Que fomos feitas uma pra outra
E juntas para sempre iremos ficar....

sábado, 12 de novembro de 2011

  
CONSELHOS DE UMA VELHO APAIXONADO
(Drummond)

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer
seu coração parar de funcionar por alguns segundos,
preste atenção: pode ser a pessoa
mais importante da sua vida. 

Se os olhares se cruzarem e, neste momento,

houver o mesmo brilho intenso entre eles,
fique alerta: pode ser a pessoa que você está
esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo

for apaixonante, e os olhos se encherem
d'água neste momento, perceba:
existe algo mágico entre vocês.

Se o 1º e o último pensamento do seu dia

for essa pessoa, se a vontade de ficar
juntos chegar a apertar o coração, agradeça:
Algo do céu te mandou
um presente divino : O AMOR.

Se um dia tiverem que pedir perdão um

ao outro por algum motivo e, em troca,
receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos
e os gestos valerem mais que mil palavras,
entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste,

se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa
sofrer o seu sofrimento, chorar as suas
lágrimas e enxugá-las com ternura, que
coisa maravilhosa: você poderá contar
com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir, em pensamento, sentir

o cheiro da pessoa como
se ela estivesse ali do seu lado...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda,

mesmo ela estando de pijamas velhos,
chinelos de dedo e cabelos emaranhados...


Se você não consegue trabalhar direito o dia todo,

ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...

Se você não consegue imaginar, de maneira

nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a outra

envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção
que vai continuar sendo louco por ela...

Se você preferir fechar os olhos, antes de ver

a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes

na vida poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.

Às vezes encontram e, por não prestarem atenção

nesses sinais, deixam o amor passar,
sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

É o livre-arbítrio. Por isso, preste atenção nos sinais.

Não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem
cego para a melhor coisa da vida: o AMOR !!!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

 
  PRA VOCÊ
Eu quero ser pra você
A alegria de uma chegada
Clarão trazendo o dia
Iluminando a sacada

Eu quero ser pra você
A confiança, o que te faz
Te faz sonhar todo dia
Sabendo que pode mais

Eu quero ser ao teu lado
Encontro inesperado
O arrepio de um beijo bom
Eu quero ser sua paz a melodia capaz
De fazer você dançar

Eu quero ser pra você
A lua iluminando o sol
Quero acordar todo dia
Pra te fazer todo o meu amor

Eu quero ser pra você
Braços abertos a te envolver
E a cada novo sorriso teu
Serei feliz por amar você

Se eu vivo pra você
Se eu canto pra você
Pra você
(Paula Fernandes)

sábado, 29 de outubro de 2011

FALTA UMA PALAVRA NO VOCABULÁRIO DA INCLUSÃO 
Nonato Menezes


Está na moda. Soa bem. Alimenta intensões e tem sido defendida como a novidade capaz de salvar almas e acalentar corpos. Incluir se fez tão necessário que ninguém ousa sombrear seu foco. É como se agora, de fato, “o sol brilhará para todos”.

Incluir significa juntar. Pode abarcar partes distintas e fenômenos semelhantes. Posso juntar pedras de tamanhos diferentes, como posso incluir pessoas de cores, credos e níveis socioeconômicos distintos. Não posso é afirmar que o processo inclusivo em discussão seja exatamente isto, ou apenas isto. Que seja apenas juntar diferentes ou incluir alguém entre outros.

Agregados à ideia de Inclusão, encontramos vários conceitos que ajudam na formulação teórica do processo que hoje podemos cotejar nos mais diversos ambientes socioeducativos, sobretudo, na escola formal. Mesmo com ressalvas às dessemelhanças de alguns significados, a presença em textos e discursos proferidos destes termos são constantes e enfatizados.

Tão marcante é a presença dos termos pertencimento, acessibilidade, alteridade, solidariedade, garantia de direitos e integrar que não há como desconhecer a estrutura de poder por eles engendrada. Então, como começo, meio e fim desse processo, são estes termos que dão ritmo, definem valores e organizam o método político. Negá-lo, nesta circunstância, é abstrair-se do contexto e não perceber o óbvio.

Não fosse a incompletude de tudo no mundo, diríamos que este discurso é perfeito, que a terminologia é a única e mais adequada possível e que não paira nenhuma dúvida quanto essa verdade.

Mas, se não há erros nessa ação, nem excessos, podemos arguir sobre o que falta. Falta afeto no vocabulário da Inclusão. Não falta apenas o vocábulo, falta intensão e desejo de defendê-lo como parte do método para incluir. É o afeto que desarma os espíritos, que eleva a estima, que humaniza. É o afeto que alegra a vida, que dá segurança, sobretudo a quem estar e se sente fora, excluído, preterido.

Ter acesso não é suficiente para se sentir incluído. Ter direitos assegurados, por si só, não garante legitimidade ao bem estar interior. Aceitar alteridade, esta palavra sofisticada, para reconhecer o outro, o distinto não garante plenitude ao processo inclusivo. Portanto, incluir e ou integrar, tratando-se de pessoas, deveria ser muito mais que juntar as peças, abrigar o outro, aproximar os corpos. A inclusão deveria ligar os corpos, com palavras e gestos de afeto. Se a razão arruma, organiza, é o afeto que aproxima, liga, encanta.

Assim, mais que a razão, neste caso, o afeto é primordial para os “diferentes” conviverem, se respeitarem e se amarem. A inclusão sem afeto é processo com motivos e com razão, mas sem alegria, sem encanto e sem harmonia. Viver com razão é TER DIREITO DE. Viver com afeto é FRUIR DO DIREITO COM.


terça-feira, 25 de outubro de 2011


  ENCANTO

 EU CANTO ESSE CANTO
EM CADA CANTO DO MEU SER
E ESSE CANTO VEM DO ENCANTO
QUE ME ENCANTA AO TE VER
CADA VEZ QUE EU CANTO
AUMENTA O MEU ENCANTO
E A BELEZA DESSE CANTO
ENVOLVE CADA RECANTO
DESSE ENCANTO QUE É VOCÊ

(Beth Lucchesi)

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

 
Meu corpo, tua sinfonia
 (Betty Lucchesi)

Tuas mãos em meu corpo
Fazem vibrar...
Em notas precisas, melodia fascinante.
Tal qual músico habilidoso,
Em harmonia com seu instrumento
Vais tocando suavemente,
Deslizando em acordes perfeitos.
Os suspiros, gemidos, gestos e sussurros
Sintonizam a cifra que orquestras com paixão.
Sabes de cor cada segredo dessa partitura
E assim, tocando...
Vais compondo tua sinfonia
Nesse prelúdio, tua alma resplandece,
O meu corpo agradece,
Vibrando, ao toque de tuas mãos.
E ao som dessa melodia,
Juntos nos deleitamos
No infinito desse amor.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

 
 PABLO NERUDA

Vês estas mãos?
Mediram a terra, separaram os minerais e os cereais,
fizeram a paz e a guerra, derrubaram as distâncias
de todos os mares e rios,
e, no entanto, quando te percorrem a ti,
pequena, grão de trigo, andorinha,
não chegam para abarcar-te,
esforçadas alcançam as palomas gêmeas
que repousam ou voam no teu peito,
percorrem as distâncias de tuas pernas,
enrolam-se na luz de tua cintura.
Para mim és tesouro mais intenso de imensidão
que o mar e seus racimos
e és branca, és azul e extensa como a terra na vindima.
Nesse território, de teus pés à tua fronte,
andando, andando, andando, eu passarei a vida.

sábado, 24 de setembro de 2011

ILUMINADO
(Vander lee)


Vi o meu sentido confundido, iluminado
Vi o sol enluarar, quando viu você
Vi a tarde inteira, a Sexta-feira, o feriado
Esperando o amor chegar e trazer você
Você chegou querendo
Tudo que o tempo não te deu
E que levou de você;
Sem saber que você já sou eu
Agora não entendo
O meu relógio o amor tirou
Mas sei que o meu coração
Tá batendo mais forte
Porque você chegou