PALAVRAS SINGULARES

São palavras jeitosas, formosas, inteiras.

Sem sentido, sem juízo, sem valor.

Faceiras, brejeiras, até corriqueiras.

Palavras intensas, carentes ou contentes.

Indecentes, inocentes, contingentes.

Trazem riso, pouco siso, alegoria.

Palavras de fé, de magia, de folia.

Fazem chorar, descontrolar e lamuriar.

Falam de amores, de dissabores,

exaltam as dores.

Palavras alegres, cintilantes, efusivas.

Verdadeiras, sorrateiras, benzedeiras.

Palavras que excitam, incitam, ousam sonhar.

Assim como falam, se calam.

Suplicam, replicam, explicam.

Palavras perdidas, inventadas...

De enfeite, deleite, um falsete.

Palavras tão belas, palavras de fera.

São palavras singulares,

São palavras de mim.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012



 ALMAS GÊMEAS
(By Me)

Duas almas distantes no espaço
Separadas pelas linhas do tempo
Sempre unidas por invisíveis laços

Percorrendo caminhos diversos
Cumprindo cada qual sua missão
Um dia se reconhecem nos versos


No compasso das rimas trocadas

Enfim o encontro pelo destino marcado








2 comentários:

  1. Como se fossem pessoas... Os versos conversam... Os versos se encontram... E se reconhecem... Vivem aprontando surpresas... E fazem palpitar... Os corações... É lindo Beth teu versejar... E ainda faz pulsar em uníssono... O versar de um Poeta.... Parabéns a vocês... Feliz noite e semana... Walter

    Walter de Arruda
    www.recantodasletras.com.br/autores/walter8421

    ResponderExcluir